Jornal Sudoeste Paulista

Adolescente que cometeu ato infracional análogo a homicídio, se passou pelo próprio pai

No último sábado (18), um adolescente de 16 anos, que confessou ter assassinado sua família, fingiu ser seu pai ao responder mensagens enviadas pelos colegas de trabalho do pai na Guarda Municipal (GM) de Jundiaí (SP). Isac Tavares Santos, de 57 anos, trabalhava na GM desde 2012 e estava escalado para trabalhar no dia do ocorrido. Quando não apareceu para o trabalho, um colega enviou uma mensagem pelo WhatsApp perguntando sobre sua ausência.

Passando-se pelo pai, o adolescente respondeu que Isac estava com problemas de saúde e não poderia trabalhar naquele dia, afirmando: “Bom dia, estou doente”. Na verdade, Isac já havia sido morto pelo filho na sexta-feira (17).

Isac Tavares Santos trabalhava na Divisão Florestal da Guarda Municipal de Jundiaí (SP) desde 2012 — Foto: Guarda Municipal de Jundiaí/Divulgação

Detalhes do Crime

Os corpos de Isac, sua esposa Solange Aparecida Gomes, de 50 anos, e a filha do casal, Letícia Gomes Santos, de 16 anos, foram encontrados na residência da família. No domingo (19), o adolescente ligou para a Polícia Militar e confessou o crime. Segundo relatos do delegado Roberto Afonso, responsável pela investigação, o adolescente matou os pais após ter seu celular e computador confiscados.

O jovem contou que, após atirar no pai na cozinha, subiu para o primeiro andar e atirou na irmã que ouviu o disparo e gritou. Depois, ele foi para a academia e, ao retornar, esperou pela mãe, que foi assassinada assim que entrou e viu os corpos do marido e da filha. No dia seguinte, ele colocou uma faca no corpo da mãe.

Adolescente de 16 anos manteve corpos dos familiares na casa por dois dias — Foto: Reprodução/Facebook

Reação e Consequências

O adolescente foi apreendido e levado à Fundação Casa, onde aguardará os desdobramentos do caso. Ele será acusado por ato infracional análogo a homicídio, feminicídio, posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e vilipêndio de cadáver. Segundo a polícia, o jovem não demonstrou arrependimento ao ser apreendido.

Adolescente que matou família manteve rotina normal após crime em SP — Foto: Reprodução