Saiba como proteger seus dados e evitar golpes em caso de ter o celular roubado

0
58
Pessoa mexe em celular na frente de computador — Foto TV Globo - Reprodução

Por Mayara Valença, G1 PI

Quem tem o celular roubado ou furtado pode ter prejuízos maiores que apenas o valor do aparelho. Em posse do chip, criminosos podem roubar informações, zerar contas bancárias e mudar o acesso das suas redes sociais e e-mail. Para se proteger de situações como essa, além de ativar a autenticação em dois fatores, é necessário rever em que local será recebido esse código e também aprender a configurar seu cartão SIM.

Isso porque, ao optar por receber o código de autenticação por mensagem SMS, o assaltante ainda consegue resgatar esse número, caso troque o chip para um aparelho desbloqueado.

Por isso, o delegado da Polícia Civil do Piauí, especialista em Segurança da Informação, Anchieta Nery, conta que a melhor forma de evitar o acesso de pessoas estranhas aos códigos da verificação em duas etapas é não utilizar o SMS como segundo fator de autenticação, que tem o objetivo de dar segurança extra ao fazer login nas contas.

Ele explica que o segundo fator funciona como mais uma senha, que é recebida pelo usuário por SMS ou e-mail, por exemplo, e a maioria dos usuários de internet opta pelas mensagens de texto. O hábito, no entanto, pode representar um risco para o usuário.

“Há o perigo de ser vítima de uma engenharia social em que alguém tenta fazer login na sua conta e te pede o código de verificação que chegará por mensagem. Para isso, informa que você foi premiado ou ganhou um sorteio do qual sequer participou”, explicou o delegado.

Além disso, criminosos podem tentar resgatar o seu chip junto à operadora, um golpe mais elaborado chamado “SIM Swap”.

“Sua linha telefônica deixa de funcionar no seu aparelho e será cadastrada em um novo chip em poder do criminoso. De posse do chip da sua linha telefônica, ele vai poder receber as mensagens SMS de verificação, da instalação do seu aplicativo de banco, da conta de rede social ou e-mail”, acrescentou.

Para reforçar a segurança do acesso às contas e evitar que o cartão SIM seja utilizado de forma indevida por terceiros, o Anchieta Nery orienta que seja usado um aplicativo próprio para autenticação de dois fatores, como o Microsoft Authenticator e Google Authenticator.

Reforce a segurança do seu chip

Outra forma de proteger suas informações contidas no cartão SIM é reconfigurar o PIN do celular. Cada operadora fornece um número padrão, que serve para bloqueio e desbloqueio do chip ao reiniciar o aparelho ou mudar o cartão de smartphone.

As configurações podem mudar de acordo com o sistema operacional e a versão utilizada pelo aparelho.

Android

No sistema operacional Android, o primeiro passo é abrir as configurações do aparelho.

  • Busque por Biometria e Segurança e, sem seguida, selecione “Outras Configurações de Segurança”.
  • Uma opção Configurar Bloqueio Cartão SIM” deverá aparecer. Toque nela.
  • O próximo passo é ativar a Bloquear chip”.
  • Para isso, o sistema requisitará o PIN do seu chip. Caso nunca tenha alterado, utilize o código da sua operadora (Vivo: 8486; Tim: 1010; Claro: 3636; Oi: 8888).
  • Em seguida, selecione Alterar PIN do chip”. Dessa forma, você terá uma senha personalizada. Digite o PIN da operadora, depois o novo PIN. O aparelho pedirá para você confirmar digitando novamente o PIN escolhido.
  • Pronto, sua configuração está atualizada.

iOS

  • Já no iPhone, o usuário deverá abrir os Ajustes.
  • Na opção “Celular”, selecione qual dos chips deseja configurar (caso use mais de um), depois toque em “PIN do SIM”.
  • Então, é só ativar tocando na chave.

Após essas alterações, o seu chip e suas contas estarão mais seguros.

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade