Ponto de Cultura de Itaporanga recebe visita de acadêmicos de Botucatu

0
698

Na quinta-feira, 25 de novembro, uma delegação de visitantes de Botucatu, composta pela secretária municipal de Cultura, Maria Cristina Cury Ramos e sua equipe, além dos membros da Academia Botucatuense de Letras (ABL), Olavo Pinheiro Godoy e Ramiro Vieira de Andrade (Ramiro Viola), estiveram visitando Itaporanga, a convite da acadêmica, criadora e coordenadora do Ponto de Cultura ‘Angelino de Oliveira’, Adriana de Jesus Padilha.

O objetivo foi um intercâmbio cultural entre as duas cidades, onde o autor de “Tristezas do Jeca”, Angelino de Oliveira, nasceu e residiu, e como ele sempre afirmava, Itaporanga era sua cidade natal e Botucatu a do coração, e assim, a delegação pôde conhecer o Ponto de Cultura, onde foram expostas as intenções do referido órgão, no que tange ao resgate da cultura regional. Também foi apresentada uma exposição sobre a história de Itaporanga, com obras de arte sobre o folclore brasileiro, artefatos da cultura local, murais e instalações.

Integrantes do Ponto de Cultura de Itaporanga com os visitantes de Botucatu

Os botucatuenses ainda fizeram doações de livros; Ramiro Viola doou parte de seu acervo cultural e objetos que pertenceram a professora folclorista e cantora brasileira, Inezita Barroso; o violeiro foi homenageado com uma poesia feita especialmente para ele, de autoria da jovem itaporanguense Maria Luiza Barbosa, integrante do Ponto de Cultura.

A partir das catorze horas, no Casarão, onde viveu o historiador e professor João Batista de Magalhães Castilho, com a benção do padre João Chrysostomo, foi realizada uma reunião ampliada, com a participação de membros do Executivo Municipal de Itaporanga, visitantes de Botucatu, e também, os participantes do Grupo de Estudos e Pesquisas em História, Genealogia e Cultura do Sudoeste Paulista, Luiz Eduardo Pedroso (Taquarituba), Claudinei Balduino da Rocha (Tejupá), Inês Jardim, da Casa da Viola e Nozor Nogueira (ambos moradores do Bairro Cruzeirinho); integrantes do Ponto de Cultura, como Aparecida Wanda Moreira, Nair de Oliveira, as jovens Iara de Oliveira, Maria Luiza Barbosa, Maria Vitória da Veiga, Thainá Maria Gomes, bem como os visitantes, André Camargo de Lima, de Piquete e Maria Angelina Umberto, de Lorena. 

O secretário municipal de Turismo e Cultura e o de Educação de Itaporanga ressaltaram a importância do evento no que diz respeito ao avanço de ações da cultura regional. Adriana Padilha reafirmou a informação do coordenador de Memórias e Patrimônio Cultural do Ponto de Cultura, Antônio Levi Mendes, sobre a importância cultural e histórica do casarão como o edifício mais antigo da cidade, ao redor do qual confluíam todas as atividades da antiga Vila de São João Baptista do Rio Verde.

Antônio ressaltou, também, o costume dos moradores de Itaporanga migrarem para Botucatu, em busca de estudos e trabalho, e por esse motivo, a artista Adriana Padilha foi incumbida de contatar com a cidade de Botucatu, como referência nas pesquisas e histórias de Angelino de Oliveira, o qual originou, depois de longa data, o intercâmbio cultural, na residência do professor, durante sua ausência.

O evento seguiu com a participação das jovens, que abrilhantaram a tarde com suas poesias e cantos, e a secretária de Cultura de Botucatu colocou-se a disposição para o estabelecimento de futuras parcerias entre os setores culturais locais de Itaporanga e a Secretaria Municipal de Botucatu, enquanto Ramiro destacou a importância do legado deixado por Angelino de Oliveira, como um dos fundamentos e divulgadores da cultura caipira.

O acadêmico Olavo Pinheiro de Godoy fez menção aos trabalhos desenvolvidos na Academia Botucatuense de Letras, colocando-se a disposição para colaborações. Já Luiz Eduardo e Claudinei Rocha destacaram a importância da convergência de esforços de vários municípios, como Itaporanga, Fartura, Piraju, Tejupá, Itaberá, Taquarituba, entre outros, para a constituição e legalização da entidade de pesquisas e estudos do Sudoeste Paulista.

      No decorrer do evento o violeiro Ramiro Viola, do “Programa Aroma Sertanejo”, fez entregas de diplomas para a Coordenadora do Ponto de Cultura e também para as jovens poetisas, pelo relevante trabalho cultural desenvolvido em prol da Cultura Literária e da Música Sertaneja Caipira.

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade