Familiares das vítimas do 11 de Setembro e autoridades prestam homenagens nos EUA

0
357
11 Sep 2001, New York City, New York, United States --- The second hijacked plane is seen moments before striking the second tower of the World Trade Center. --- Image by © Masatomo Kuriya/Corbis

Cerimônias nas três cidades onde caíram os aviões sequestrados pela Al Qaeda marcam 20 anos dos atentados. Biden e ex-presidentes americanos participam dos eventos. Trump não compareceu.

Familiares e autoridades americanas participaram de uma cerimônia em homenagem às vítimas dos atentados terroristas de 11 de setembro, em Nova York, na manhã deste sábado (11), data em que a tragédia completa 20 anos. Durante o ato, foi realizada uma leitura com o nome de cada pessoa. Parentes e amigos também leram depoimentos emocionados.

Os ex-presidentes dos Estados Unidos Bill Clinton, Barack Obama e Joe Bien; as ex-primeiras-damas Hillary Clinton, Michelle Obama e Jill Biden; o ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg; a presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi; e o líder da minoria no Senado, Charles Schumer ouvem o hino nacional americano durante a cerimônia de homenagem anual às vítimas dos atentados do 11 de Setembro de 2001, em Nova York, em 11 de setembro de 2021 — Foto: Chip Somodevilla/Pool via Reuters

Naquela terça-feira de setembro de 2001, quatro aviões foram sequestrados por membros da rede Al-Qaeda; dois deles se chocaram contra as Torres Gêmeas em Nova York. O local atualmente é conhecido como Marco Zero.

Além dos dois aviões que avançaram contra o World Trade Center, sequestradores da Al-Qaeda arremessaram um terceiro avião contra o Pentágono, na capital Washington, onde também foi organizado um tributo às vítimas.

Na Pensilvânia, onde um quarto avião – o vôo 93, que tinha como alvo o Capitólio, na capital dos EUA – foi derrubado em um campo vazio matando 44 passageiros, a vice-presidente Kamala Harris e o ex-presidente George W. Bush prestaram homenagem às vítimas.

Bush, que assumiu o cargo apenas oito meses antes de o 11 de setembro alterar a trajetória de sua presidência, disse que a unidade mostrada pelos americanos após os ataques é muito diferente das rachaduras que agora dividem os americanos.

“A força maligna parece agir em nossa vida comum”, disse ele. “Grande parte da nossa política se tornou um apelo descarado à raiva, ao medo e ao ressentimento.”

O presidente Joe Biden e a primeira-dama Jill Biden também participaram das homenagens às vítimas em Nova York e, por volta das 11h15, partiram para a cerimônia na Pensilvânia.

No Marco Zero, acompanham a cerimônia os ex-presidentes americanos Bill Clinton e Barack Obama; as ex-primeiras-damas Hillary Clinton e Michelle Obama; o ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg; a presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi; e o líder da minoria no Senado, Charles Schumer.

O ex-presidente Donald Trump não participou de nenhuma das três cerimônias realizadas neste sábado.

Ele aproveitou para criticar a “administração inepta” de Joe Biden por sua “incompetência” em se retirar do Afeganistão. “Este é um dia muito triste”, disse, acrescentando que o 11 de Setembro “representa uma grande dor para o (seu) país”.

“É também um momento triste pela forma como a nossa guerra contra aqueles que causaram tantos danos ao nosso país terminou na semana passada”, continuou. Trump se referiu ao fim da guerra no Afeganistão e a retomada do poder pelo Talibã no país.

Militares fazem saudação para homenagear as vítimas dos ataques de 11 de setembro em Nova York — Foto: Reuters/Brendan McDermid

Às 8h46, quando um dos aviões atingiu a primeira torre do World Trade Center em 2001, os familiares fizeram um minuto de silêncio no Marco Zero. Outros minutos de silêncio ocorreram às 9h03, quando o vôo 175 se chocou contra os andares 77 e 85 da Torre Sul e às 10h28, quando a Torre Norte desabou.

Logo após o segundo minuto de silêncio, o cantor Bruce Springsteen se apresentou no Marco Zero. Outras apresentações musicais marcam o evento.

Brasileiros moradores de Nova York há mais de vinte anos que acompanham a cerimônia contaram à GloboNews como ajudaram nos dias seguintes aos atentados. “‘O cheiro de queimado nos perseguiu por muitos, muitos meses”, relembrou a brasileira Heloísa, que cozinhou para bombeiros que trabalharam nos escombros.

Ao todo, 2.977 pessoas de 77 países foram mortas nos ataques de 11 de setembro, além dos 19 sequestradores dos aviões.

Fonte: G1

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade