Dia de Finados em Fartura é de celebrações

Uma procissão teve início na Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores

Da Redação

Seguindo todos os protocolos sanitários impostos pela pandemia do novo coronavírus, em Fartura o Dia de Finados foi celebrado com missas e também com uma pequena procissão até o cemitério municipal, conduzida pelo padre Blener Domingues e acólitos.

Padre Blenner em frente o túmulo das Irmãs da Divina Vontade
O túmulo dos Padres Teatinos também foi visitado

Depois da missa em alusão aos defuntos, na Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores, mas seguindo as normas de segurança, alguns fiéis seguiram o pároco até o cemitério, onde também foram realizadas orações pedindo o descanso daqueles que já se foram, além de o padre abençoar a todos.

Continua depois da Publicidade

FINADOS

A tradição religiosa de celebrar os finados se iniciou por volta do ano de 998, quando um abade do mosteiro de Cluny, na França, ordenou que os monges orassem pelos mortos, especialmente por aqueles de quem ninguém lembrava mais.

O padre e fiéis na chegada ao cemitério

A oração virou uma tradição, que foi ficando cada vez mais popular. Até que, no século 13, a data foi estabelecida como sendo em 2 de novembro, dia seguinte ao Dia de Todos os Santos, celebração da igreja católica.

O pároco conduziu os participantes dentro do cemitério

No Brasil, o Dia de Finados é marcado pelo luto e pela introspecção em sinal de respeito aos mortos.

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade