Ex-vereador é preso por vender cirurgias bariátricas do SUS a pacientes da região

Operação cumpriu mandados no Paraná, São Paulo e Santa Catarina (Foto Divulgação Polícia Civil)

Do G 1

Um ex-vereador de Taquarituba foi preso acusado de vender cirurgias bariátricas custeadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No total, outras 13 pessoas acabaram detidas pela Polícia Civil na terça-feira (06). As cirurgias eram realizadas no Paraná, em Curitiba e dezenas de moradores da região foram levados ao local para passarem pelo procedimento. A suspeita é que eles tenham lucrado mais de R$ 10 milhões com o esquema.

No total, segundo o G 1, 14 pessoas foram presas durante a operação. A quadrilha levava os pacientes até o Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba. De acordo com as investigações, os suspeitos furavam a fila de espera pela cirurgia, com a ajuda de várias pessoas envolvidas, e lucraram mais de R$ 10 milhões com a venda dos procedimentos.

Continua depois da Publicidade

Além dos 14 presos, mais três pessoas também foram detidas em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. Trinta e cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos na operação. Entre os presos estão dois médicos, técnicos de enfermagem, donos de pousadas, aliciadores, um auditor fiscal da uma regional da Secretaria de Saúde do Paraná (Sesa), em Curitiba, e um vereador de Taquarituba, no interior de São Paulo, segundo o delegado Thiago Nóbrega.

“Esse esquema é investigado há muitos anos. Nós temos informações de denúncias já a partir de 2017 e acredito que agora apareçam mais”, afirmou o delegado. Ele disse que as denúncias partiram de alguns pacientes e do Ministério Público do Paraná (MP-PR).

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade