Fartura e Taguaí são destaques na classificação da nota do Ideb na região

Foto divulgação

Por Ademilson Rodrigues

Principal indicador de qualidade da educação brasileira, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2019, divulgado na última terça-feira, 15, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apontou que Taguaí e Fartura obtiveram nota superior a 7,0, demonstrando ótimos desempenhos. 

Na informação divulgada pela Agência Brasil, Taguaí teve o melhor desempenho (7,7), enquanto Fartura atingiu nota 7,4 e, das cidades pertencentes à região do Consórcio Intermunicipal do Alto Vale do Paranapanema (Amvapa), essas foram as duas notas de maior destaque, seguidas de Taquarituba (7,0) e Angatuba (7,0), além de Piraju (6,9) e Águas de Santa Bárbara (6,9).

Medido a cada dois anos, o Ideb é o principal indicador de qualidade da educação brasileira e o índice registrado nos anos iniciais no país passou de 5,8, em 2017, para 5,9, em 2019, superando a meta nacional de 5,7 considerando tanto as escolas públicas quanto as particulares.

Nos anos finais do ensino fundamental, do 6º ao 9º ano, o índice avançou de 4,7 para 4,9. No entanto, ficou abaixo da meta fixada para a etapa, 5,2. No ensino médio, passou de 3,8 para 4,2, ficando também abaixo da meta, que era 5.

Continua depois da Publicidade

O Ideb é calculado com base em dados de aprovação nas escolas e de desempenho dos estudantes no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb). O Saeb avalia os conhecimentos dos estudantes em língua portuguesa e matemática. O índice final varia de 0 a 10.

A intenção é que cada instância melhore os índices para que o Brasil atinja o patamar educacional da média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), ou seja, segundo o Inep, isso significa progredir da média nacional de 3,8, registrada em 2005 na primeira fase do ensino fundamental, para um Ideb igual a 6 em 2022, ano do bicentenário da Independência.

A próxima será em 2022, referente a 2021 e nessa edição, consta que os dois índices mais baixos foram registrados em Itaí (5,9) e em Tejupá (5,7). Timburi teve nota de 6,5 e Carlópolis (PR) de 6,7, entretanto, esses dois últimos municípios não fazem parte da Amvapa e não aparecem na relação abaixo.

Na Região Sudeste, 73,9% das redes municipais têm Ideb 6 ou mais. A maior porcentagem de redes municipais com Ideb 6 ou mais está no estado de São Paulo, 91,3%.

Fonte: Agência Brasil

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade