“Tabagismo e Coronavírus” é tema do Dia Nacional de Combate ao Fumo e alerta sobre vulnerabilidade dos fumantes

0
54

Por Ademilson Rodrigues

Considerado um fator de risco para transmissão do vírus e para o desenvolvimento de formas mais graves de Covid-19, o tabagismo também é considerado uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tendo um papel de destaque no agravamento da pandemia, uma vez que fumantes parecem ser mais vulneráveis à infecção pelo novo coronavírus.

Por esse motivo, o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) escolheu “Tabagismo e Coronavírus” como tema da campanha deste ano, o Dia Nacional de Combate ao Fumo, fixado em 29 de agosto.

Assim, a psicóloga e representante da Divisão de Controle do Tabagismo do Inca, Vera Borges, salientou que “quase 80%, mais de 1 bilhão de fumantes em todo mundo, vivem em países de baixa e média renda, onde o peso da doença e mortes relacionadas ao tabaco é ainda maior, e facilita em muito a contaminação pelo Covid-19”.

A psicóloga ainda ressaltou que as pesquisas mostram a contribuição do tabagismo para os casos de hipertensão, diabetes e cardiopatias, doenças pulmonares obstrutivas crônicas, acidentes vasculares cerebrais e câncer de pulmão. “Tudo isso se agrava no momento em que o mundo vive a pandemia da Covid-19”, alertou.

Em resumo, os fumantes são acometidos com maior frequência de infecções como sinusites, traqueobronquites, pneumonias e tuberculose. Por isso, é possível dizer que o tabagismo é fator de risco para a Covid-19 e que é um agravante da doença devido a um possível comprometimento da capacidade pulmonar, assim, o fumante possui mais chances de desenvolver sintomas graves da doença.

Com informações da Agência Brasil – Rio de Janeiro

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade