Psicóloga farturense se recupera de covid-19 e relata sintomas e recuperação

0
5

Depois de passar por dificuldades por causa do coronavírus, a psicóloga farturense Bernadete Silvana participou na terça-feira, 11, de uma entrevista, onde falou sobre sua situação, a recuperação e as dificuldades decorrentes da doença. Ela fez o tratamento em Ourinhos, após testar positivo para covid-19.

Na entrevista à Rádio Nova Voz FM, via telefone, disse que havia sido contaminada, mas não tem ideia de onde nem como, que seu quadro começou com os sintomas normais de uma gripe, mas como a estação atual é de inverno, e normal haver doenças respiratórias, a princípio pensou tratar-se de uma gripe simples.

Segundo ela, “os primeiros sintomas foram o corpo fraco, febre e dores de cabeça e garganta, e então, no dia 22 de julho procurou o Centro de Saúde “Dr. Alécio Ravanelli”, de onde fui encaminhada para fazer o teste. Primeiro foi o e teste rápido, que deu negativo, mas depois os sintomas se acentuaram, e então foi feito o outro, mais completo, que foi enviado à Botucatu”.

Silvana diz que posteriormente ficou sem condições nem de se levantar, com dores pelo corpo, sem apetite, sem olfato, quase totalmente desfalecida, foi quando percebeu mesmo que não era somente uma gripe, estava muito mal e pediu que o marido a levasse à Ourinhos, no dia 24 de julho, quando foi internada no Hospital da Unimed.

O infectologista, segundo ela, mesmo sem os resultados dos exames de Botucatu resolveu fazer uma tomografia do pulmão, um eco cardiograma e um exame de sangue pra confirmar, foi quando na tomografia, Bernadete disse que já estava com predisposição para um dos maiores perigos da doença e que leva a óbito, mas, embora o estado dela fosse grave, não precisou da entubação, nem de oxigênio, o que colaborou para sua recuperação.

Disse que o marido, na ocasião, passou pelos mesmos exames e constatou também ter sido contaminado, mas no caso dele era leve e fez apenas o tratamento em casa, onde foi monitorado até se constatar sua recuperação. Frisou que ainda estão em isolamento, sendo, porém, atendidos no posto de Saúde do bairro São Caetano, com o médico Dr. Alan.

Bernadete teve alta hospitalar no dia 1º de agosto, mas disse que vai ficar ainda por alguns dias em recuperação para aumentar a imunidade, inclusive com boa alimentação, descanso e vitaminas, conforme orientação médica, mas já teve a garantia que não transmite mais o vírus.

Ressaltou novamente o uso da máscara, do álcool em gel, do distanciamento, lembrando que mesmo ela usando de todos os cuidados, ainda assim foi contaminada, mas tranquilizou que seus pacientes não tiveram contato com a doença, nenhum teve problemas, pois segue todas as recomendações do Ministério da Saúde e que na segunda-feira, já retorna aos seus atendimentos.

Depois, agradeceu pelo atendimento que teve tanto pelo pessoal da Saúde de Fartura quanto pelo de Ourinhos, “esses guerreiros que estão na linha de frente, colocando a vida em risco para salvar a todos dessa doença que é nova e assusta a todos, mas lembro que as pessoas devem evitar se automedicar, porque a cloroquina, sem o anticoagulante e monitoramento, e mesmo os outros remédios, como azitromicina, o ivermectina, ou qualquer outro usado no momento para tratar da doença, se não for controlado pelos médicos, podem até mesmo piorar a situação, e no meu caso, fizeram o tratamento prático disponível, para o qual assinei um termo para ser tratada com o hidroxi-cloroquina, mas tudo deve ser prescrito e acompanhado por um profissional”, concluiu.

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade