Governo de São Paulo anuncia retrocesso do Vale do Ribeira para a fase vermelha do plano de flexibilização da quarentena

Publicidade

Região da cidade de Registro estava na fase amarela e teve alta nos casos, internações e óbitos. A cidade de São Paulo se manteve na fase amarela.

Por Beatriz Borges, G1 SP — São Paulo

O governo de São Paulo atualizou na sexta-feira (31) a situação das regiões no Plano São Paulo de reabertura gradual das atividades econômicas e anunciou que a região de Registro, no Vale do Ribeira, no Interior de São Paulo, retrocedeu para a fase 1 (vermelha), mais restrita em que apenas atividades essenciais estão liberadas. A nova classificação passa a valer a partir de segunda-feira, dia 03.

“Hoje faremos essa atualização do mapa do Plano São Paulo com a mudança especificamente da região do vale do Ribeira da fase amarela para a fase vermelha que é a fase que tem mais restrições. Durante essa semana nós já vínhamos alertando que essa era uma possibilidade”, disse o governador João Doria (PSDB).

Publicidade

De acordo com a gestão estadual, Registro estava na fase amarela e retrocedeu para a vermelha devido a uma alta de casos, internações e óbitos na região.

“Como vocês podem ver os números nessa região foram muito diferentes. Nós atingimos 85% de ocup ação de leitos na região, também tivemos um aumento muito grande de internações e de óbitos e é por isso que na próxima página, nessa nova atualização, a região do Vale do Ribeira retrocede para a fase vermelha”, disse a Secretária de Desenvolvimento econômico Patrícia Ellen.

Publicidade

Apesar da alteração de fases do Plano São Paulo acontecer a cada 2 semanas, segundo a gestão estadual, mudanças para fases mais restritivas podem ocorrer a qualquer momento. Segundo a gestão estadual, dez novos leitos foram entregues na região.

“A reclassificação do Vale do Ribeira retornando à fase 1 foi uma medida de segurança já prevista e discutida no Plano SP frente ao aumento do número de casos e a ocupação dos leitos de UTI. Prontamente, não só a pedido do governador, estivemos localmente ali e entendemos que a estrutura hospitalar é bem qualificada e merecedora de 10 novos leitos. Conseguimos assistir os pacientes daquela região sem nenhum prejuízo”, disse o secretário estadual de saúde, Jean Gorinchteyn.

A mudança de fase de Registro foi a única anunciada nesta sexta-feira (31). Campinas e Araçatuba que avançaram da fase vermelha – a mais restrita, em que apenas atividades essenciais estão liberadas – para a fase laranja na última sexta-feira (24) permaneceram com a mesma classificação. Assim como a região de Araraquara que passou da fase laranja para a amarela na última sexta, dia 24.

A cidade de São Paulo se manteve na fase amarela, que permite a abertura de bares, restaurantes e salões de beleza. Toda a Grande São Paulo também está na fase amarela, exceto a sub-região Norte, que permanece na fase laranja.

REGIÕES NA FASE VERMELHA:

Franca; Ribeirão Preto; Piracicaba e Registro.

REGIÕES NA FASE LARANJA:

Araraquara; Barretos; Bauru; Marília; Piracicaba; Presidente Prudente; São João da Boa Vista; São José do Rio Preto; Sorocaba; Taubaté; Sub-região Norte da RMSP; Campinas e Araçatuba.

Publicidade

REGIÕES NA FASE AMARELA:

Baixada Santista; Município de São Paulo; Sub-região Leste da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP); Sub-região Sudeste da RMSP; Sub-região Oeste da RMSP; Sub-região Sudoeste da RMSP e Araraquara

PLANO SÃO PAULO

Para começar a reabertura do estado em 1º de junho o governo dividiu o território de acordo com as 17 Divisões Regionais de Saúde (DRS). A Grande São Paulo foi subdividida em outras 6 regiões, uma para a capital e outras 5 para cada grupo de cidades da Região Metropolitana. A flexibilização da quarentena é feita de modo diferente em cada uma dessas regiões.

OS CRITÉRIOS QUE BASEIAM A CLASSIFICAÇÃO DAS REGIÕES SÃO:

Ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs);

Total de leitos por 100 mil habitantes;

Variação de novas internações, em comparação com a semana anterior;

Variação de novos casos confirmados, em comparação com a semana anterior;

Variação de novos óbitos confirmados, em comparação com a semana anterior.

Publicidade

Na fase verde também é considerado óbitos e casos para cada 100 mil habitantes;

Esses critérios definem em qual das cinco fases de permissão de reabertura a região se encontra:

Fase 1 – Vermelha: Alerta máximo

Fase 2 – Laranja: Controle

Fase 3 – Amarela: Flexibilização

Fase 4 – Verde: Abertura parcial

Fase 5 – Azul: Normal controlado

Publicidade
Publicidade