Vereadores de oposição criticam investimento de R$ 500 mil em poltronas

Vereadores durante sessão extraordinária

Base situacionista aprova projeto e afirma confiar na coordenadora da Educação e na administração atual

Na noite de sexta-feira (26) os vereadores da Câmara de Fartura realizaram sessão extraordinária por videoconferência. Dois projetos de abertura de crédito foram aprovados, porém houve polêmica quanto ao que destina R$ 500 mil à aquisição de poltronas para os salões de auditório do Anfiteatro Dom Gorgônio, da EMEF Professor Miguel de Góes Vieira e Salão Nobre da EMEF João Batista de Oliveira.

Segundo divulgou a Câmara, os vereadores Bruno Guazzelli, Fernando Pitukinha, Anderson Lima e Edson Sarapiá criticaram o projeto e anunciaram voto contra. Os edis questionaram qual é a necessidade de comprar essas poltronas em um momento de pandemia. O alto valor também foi questionado, assim como problemas em outros setores da municipalidade.

Continua depois da Publicidade

PUBLICIDADE

Slide Anything shortcode error: A valid ID has not been provided

Por cinco votos a quatro, o projeto foi aprovado. O presidente Isnar do Caminhão e os vereadores Doriveti Gabriel, Decinho Martins, João Buranello e Carlos Rizzo disseram confiar na coordenadora da Educação, Jovana Leite Dognani e na atual administração.

Já o Projeto de Crédito Adicional Especial, no valor de R$ 226.405,03, oriundo do superávit financeiro de recursos do exercício de 2019 não aplicados, decorrentes dos repasses da quota municipal do Salário Educação – QESE, será utilizado para complementação do valor para compra das poltronas. Esse projeto foi aprovado por unanimidade. As informações são da Câmara de Fartura

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade