Promotoria quer atenção do Estado a projeto da USP para produção de respiradores

0
303

Equipamentos foram desenvolvidos pela Poli

A Promotoria de Justiça de Direitos Humanos – Saúde Pública enviou ofícios ao governo do Estado e à Secretaria de Estado da Saúde pedindo esclarecimentos sobre o não atendimento a uma recomendação do MPSP quanto à implementação, no combate à covid-19, de projeto utilizando respiradores de emergência desenvolvidos na Escola Politécnica da USP.

De acordo com informações prestadas à Promotoria pelo professor Marcelo Zuffo, o protótipo de ventilador de emergência criado dentro do Projeto Inspire  já foi testado em animais e também em pacientes do Hospital das Clínicas, com sucesso, estando pendente de aprovação pela Anvisa.

PUBLICIDADE

[slide-anything id=’14466′]

Nos ofícios, a promotora de Justiça Dora Martin Strilicherk questiona por que o projeto da Escola Politécnica não recebeu atenção por parte do poder público, que vem negociando a importação de um único respirador por cerca de R$ 220 mil, enquanto um ventilador do Projeto Inspire tem custo aproximado de R$ 2 mil.

A Promotoria pede que seja informado ainda o número de ventiladores necessários para aumentar o número de leitos de UTI no Estado de São Paulo, e qual a possibilidade de produção dos equipamentos pela Escola Politécnica.

Os ofícios levam em consideração as notícias sobre a recente tentativa frustrada de compra de respiradores pelo governo do Estado e o fato de que, “mesmo sem aprovação da Anvisa, o gestor tem obrigação legal de demonstrar que utilizou todos os meios possíveis (humanos e materiais) para salvar pacientes infectados pelo coronavírus (…)”.

Por Núcleo de Comunicação Social

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade