Tamanduá faz visita inusitada em uma das praças de Fartura

0
149

Em vídeo que está percorrendo pela internet, um animal um tanto quanto inusitado apareceu, ontem, 05, na praça Tenente Cassimiro, em Fartura. Um tamanduá mirim, ou tamanduá-colete, passeava tranquilamente pela praça, enquanto moradores o filmavam.

Segundo informações dos moradores, ele e sua família residem nas margens do Rio Fartura, perto da chácara do popular Benatto.

O animal, que ainda é preservado na natureza, é encontrado em muitos ambientes, desde florestas até savanas, mas é predominantemente florestal, sendo encontrado com frequência em bordas de florestas, preferindo forragear nesses ambientes.

Publicidade

[slide-anything id=’14136′]

Mas pesa contra a sua manutenção uma atividade cada vez mais frequente em seu Habitat: a redução das florestas em função das queimadas, o que geralmente elimina a sua principal fonte de alimento: formigas, cupins e larvas.

Aliás, para se alimentar, normalmente ele utiliza uma técnica bastante simples: vale-se de suas fortes garras (quatro ao todo) para fazer buracos no cupinzeiro e, com a língua pegajosa, capturar os insetos, guiado sobretudo por um olfato apuradíssimo, que compensa as fracas visão e audição.

Este animal é também frequentemente ameaçado por outras ações do homem, direta ou indiretamente, como os atropelamentos em rodovias próximas ao seu ambiente natural, e ao frequente ataque de cães domésticos.

O grande problema é que, em função de seus baixos níveis metabólicos, o tamanduá-mirim tem longos períodos de gestação e um número reduzido de crias, daí a preocupação constante com o seu bem-estar.

Em função de seus hábitos noturnos, dificilmente é visto de dia. São indivíduos essencialmente solitários, que só encontram um par na época do acasalamento. Tanto que de 350 a 400 hectares pode-se encontrar dois animais da mesma espécie.

Como característica física principal, ele possui cabeça, pernas e parte anterior do dorso com uma coloração típica, amarelada. Já o restante do corpo é negro, formando uma espécie de colete. O tamanduá-mirim peso até 5 quilos e vive aproximadamente 9 anos.

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade