SP registra 2.375 mortes por coronavírus e casos confirmados no estado sobem 10% em 24 horas

0
88

O número de mortes provocadas pelo coronavírus no estado de São Paulo subiu 6% nas últimas 24 horas e chegou a 2.375 casos, segundo a Secretaria Estadual da Saúde. Foram registradas 128 mortes na quarta-feira (29). Já o número de casos confirmados aumentou 10% e está em 28.698.

O número de pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) é de 1.744 e outros 2.138 pacientes estão em enfermarias em todo o estado.

A taxa de ocupação nas UTI é de 69,3% no estado e de 48% nas enfermarias. Já a Grande São Paulo tem 89% dos leitos das UTIs ocupados e 73% das vagas em enfermarias. Em todo o estado há 2.500 profissionais de saúde afastados.

Até o momento, o governo estadual investiu R$ 1,6 bilhão no combate à Covid-19. O Ministério da Saúde repassou para o estado R$ 480 milhões e montou 80 leitos no Hospital das Clínicas, alem de fornecer alguns insumos.

Nesta quinta-feira (30), o governo de São Paulo teve a primeira reunião com o novo ministro da Saúde, Nelson Teich, desde que ele assumiu o cargo. O estado pediu ao governo federal 4 milhões de testes rápidos.

“Ele colocou quais são suas linhas de atuação. Então a primeira delas: a manutenção do programa anterior, pra que não haja solução de contiguidade. A segunda, a manutenção do isolamento social, o ministro defendeu a manutenção do isolamento social. A terceira, a dificuldade da compra de insumos, principalmente de respiradores, o ministro falou claramente com toda a franqueza a dificuldade que o ministério da saúde a semelhança estados e municípios tem na compra desses insumos respiradores e outros materiais que são utilizados em ambientes de terapia intensiva. Também falou da importância do programa de testes, tanto do diagnóstico da doença aguda, através da utilização do exame PCR-RT, como tbm a descoberta dos pacientes que já foram infectados e por conta disso têm sorologia IGG positiva. Então nós entendemos que isso é extremamente alinhado com aquilo que o governo do estado pensa, a secretaria de saúde, e a preocupação do ministro de novas ondas e de infectados. Então, nós entendemos absolutamente adequado e alinhado”, afirmou David Uip, coordenador do Centro de Contingência para o coronavírus.

Fonte G1

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade