10% da população do Estado pode ser contaminada pelo coronavírus nos próximos meses

Foto de Divulgação

A semana foi marcada pelo aumento dos casos confirmados do coronavírus no Estado de São Paulo. A contaminação que atualmente é tratada como comunitária, deve explodir nos próximos dias, segundo informações de especialistas, que se reuniram essa semana na capital, no Instituto do Coração (InCor). O aumento expressivo do surto ocorre pela transmissão não ser mais somente por quem viajou a países onde existem casos da contaminação.

Um áudio enviado ao Jornal Sudoeste Paulista, pelo médico Dr. Rui Colanzi Júnior, gravado por Fábio Jatene, professor titular de cirurgia torácica da Universidade São Paulo (USP)/HC/InCor, afirma que os casos confirmados de coronavírus devem explodir, chegando a 45 mil na capital e outros 460 mil somente do Estado, nos próximos quatro meses. No cenário mais pessimista 10% dos paulistas, 4,6 milhões, contrairão o vírus. o estado possui 44,04 milhões de habitantes.

A notícia foi confirmada pelo infectologista David Uip, responsável pela coordenação de um comitê de contingenciamento para enfrentar a chegada do coronavírus em São Paulo. A equipe pede atenção especial à população idosa, já que a taxa de mortalidade dos infectados chega a 15%, enquanto que em jovens não passa de 0,2%. O áudio, amplamente divulgado na quinta-feira (12) cita que os casos já confirmados no Brasil, inspiram cuidados maiores, pois são idênticos aos da China.

Segundo relato da equipe que se reuniu no InCor, existe outra preocupação na identificação da doença, já que com exames de Raio X não são detectados os estragos deixados no organismo pelo Covid-19. “Apenas com a Tomografia descobriu-se que um dos pacientes que seria dispensado após Raio X, estava coalhado de lesões e isso é um problema”, divulga Fábio.

Segundo David Uip, a previsão é que de 45 mil infectados nos próximos quatro meses, cerca de 10 a 11 mil pacientes precisem de atendimento em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e não existem leitos disponíveis nessa quantidade. O encontro lembrou ainda que na Itália pacientes estão sendo tratados no centro cirúrgico, pela disponibilidade de respiradores no local e, com isso as operações foram suspensas.

De acordo com Fábio, o Hospital das Clínicas já teria disponibilizado as UTIs do 11º andar do instituto central com 75 leitos só para os casos da doença. “Na sequência serão leitos do InCor que serão mobilizados e está se julgando que será insuficiente, pois é uma doença que de um caso são contaminados até quatro pacientes”, explica Jatene. O pico de piora da doença também preocupa, já que é tido como rápido, de 5 a 7 dias, segundo citado no encontro em São Paulo.

Segundo o médico intensivista Marcelo Amato, que também esteve no encontro, o ideal é intubar o paciente o mais breve possível, para evitar a disseminação, já que os vírus vazam pela máscara e de forma rápida contaminam todos no ambiente. “Com a intubação diminuiu a contaminação na China, porém aumentaram os casos entre enfermeiros devido as secreções corpóreas, como urina e fezes”, explica Fábio. Na Itália, de acordo com Jatene, a ventilação mecânica para recuperação dos pacientes pode chegar a três semanas.

David enfatizou que a população deve permanecer no Brasil, já que os visitantes podem estar em um país e, de repente, as fronteiras daquele lugar podem se fechar, devido a pandemia e, todos ficarem presos. O encontro lembrou ainda da decisão do presidente do Estados Unidos, Donald Trump, que suspendeu as viagens da Europa para os Estados Unidos e o caso da infecção de um jogador da NBA, fato que gerou a suspensão da liga por pelo menos 30 dias.

Uip salientou que o surto deve durar quatro meses e virá com força, gerando a contaminação de muitas pessoas, porém que após esse período o vírus deve se tornar pequeno. “Quem tinha que se contaminar já se contaminou, outros já adquiriram resistência, jovens não vão demonstrar a doença”, divulga Fábio. Para a equipe, o problema mesmo é que não sabem como será a doença na época do calor, pois não existe evidência cientifica que será diferente. “Por enquanto é uma doença que está vindo do hemisfério norte para o hemisfério sul”, concluiu Jatene.

Números no mundo e no Brasil

O número de mortos pelo coronavírus, ultrapassou os 5 mil em todo o mundo. Os dados são de um levantamento feito pelo governo chinês. O balanço foi divulgado pela estatal chinesa de notícias, a CGTN. Até o momento, foram 5.090 mortes por esta infecção em todo o mundo. A maior parte delas, 3.180, está concentrada na China, que possui 81.003 casos confirmados de Covid-19. Já o Brasil registrou ao menos 151 casos confirmados de Covid-19, porém nenhum registro de mortes pela doença. O número foi atualizado nesta sexta-feira (13), pela manhã, a partir de balanços divulgados pelas secretarias estaduais de Saúde e pelo Hospital Albert Einstein.

Fartura descarta caso suspeito

A Coordenadora Municipal de Saúde de Fartura emitiu nota descartando a suspeita de um caso no município. Segundo a Vigil6ancia Epidemiológica, que acompanha o caso, um paciente esteve no Japão recentemente, porém não apresenta o conjunto de sinais e sintomas observados no Covid-19. “Portanto Fartura não apresenta nenhum caso de suspeito ou confirmado de Coronavírus”, relatou através de nota a coordenadora de Saúde, Regiane Silva de Medeiros.

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade