Polícias prendem mais de 1,3 mil pessoas nos quatro dias de Carnaval

A Operação Carnaval Mais Seguro levou às ruas, diariamente, uma média de 22 mil policiais em todo o Estado para garantir a segurança da população durante os quatro dias de folia. Desde a madrugada da última sexta-feira (21) até o início desta terça-feira (25), 148,5 mil pessoas foram abordadas. Deste total, 1.324 foram detidas.

Entre as ocorrências de destaque está a prisão de três homens na noite de ontem (24), na região do Brás. O trio foi flagrado tentando dispensar R$ 1.800 e uma bolsa com 52 celulares produtos de roubo ou furto. Dois aparelhos foram devolvidos às vítimas e o restante apreendido para perícia. Os suspeitos foram autuados em flagrante por receptação e associação criminosa. A ocorrência foi registrada no 78° Distrito Policial (Jardins).

Com esse caso, as atividades policiais no período resultaram na apreensão de 142 celulares, sendo 75 devolvidos aos respectivos proprietários. Também foram recuperados 270 veículos e apreendida 1,1 tonelada de drogas e 93 armas de fogo ilegais.

Para garantir a segurança no trânsito, os agentes também realizaram fiscalizações de 100,3 mil veículos. Os condutores foram submetidos ao teste do etilômetro. Ao todo, 4.096 foram autuados, sendo 1.120 por dirigir sob influência álcool ou substâncias psicoativas (o Art. 165 do CTB), 2.919 por se recusar a realizar o teste (Art. 165A do CTB) e 57 flagrantes pelo artigo 306, do Código Brasileiro de Trânsito.

A operação

Com uma expectativa de público 25% maior do que a registrada no ano passado, as forças de segurança do Estado reforçaram o policiamento. Neste ano, a Operação Carnaval Mais Seguro conta um esquema especial com uma média de 15 mil policiais civis e militares atuando diariamente em todo o estado de São Paulo. Também há reforço no número de viaturas e de aeronaves. São 12 helicópteros Águia do Comando de Aviação da PM (CavPM) para o patrulhamento diário, monitoramento em tempo real em locais de eventos por meio do Dronepol – em média 50 drones por dia.

Continua depois da Publicidade

O Sistema Olho de Águia é utilizado no equipamento e nas aeronaves, transmitindo imagens ao Centro de Operações da PM (Copom) para que atitudes suspeitas sejam rapidamente identificadas. Participam ainda da operação policiais militares do Choque, dos Policiamentos Rodoviário, Ambiental e de Trânsito e do Corpo de Bombeiros. O Canil da PM é utilizado para a detecção de drogas, por meio de cães farejadores.

Os plantões nas unidades policiais foram reforçados para garantir agilidade no atendimento ao público. Além disso, o Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IIRGD) apoia os trabalhos com a utilização do novo Sistema de Reconhecimento Facial. A ferramenta, inaugurada em janeiro, recebe imagens das câmeras e do sistema móvel da prefeitura da Capital e, por meio de seu banco de dados com mais de 40 mil registros de pessoas, identifica possíveis desaparecido ou procurados pela Justiça. A Superintendência da Polícia Técnico-Científica (SPTC), por sua vez, trabalha com uma média de 160 profissionais e mantém força tarefa, sobretudo, no litoral paulista, dando continuidade à Operação Verão.

Durante todo o período, o Centro Estadual de Gerenciamento do Carnaval Mais Seguro 2020, instalado no Centro de Operações Integradas (COI) da Capital, monitora as atividades. A Força-Tarefa é composta por todas as secretarias e órgãos públicos estaduais e da União.

Pulseiras de identificação

Visando auxiliar familiares que levaram os filhos para as festividades, a Polícia Militar, região de Avaré, inovou mais uma vez, para que crianças não se perdessem de seus pais e responsáveis, foram distribuídas “Pulseiras de Identificação”, que eram fixadas nos braços das crianças, constando o nome e telefone dos responsáveis.

Segundo informações da PM, nesta época do ano, o cuidado com as crianças deve ser redobrado devido ao grande fluxo de pessoas que frequentam os lugares destinados aos festejos carnavalescos. Visando assegurar ainda mais a segurança a Polícia Militar divulga algumas dicas como: identifique a criança com a pulseira distribuída pela Polícia Militar; caso não tenha a pulseira de identificação, providencie um bilhete de identificação e coloque no braço da criança e oriente a criança que em caso de se perder, procurar sempre a ajuda de algum policial militar.

Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade
Continua depois da Publicidade